segunda-feira, setembro 08, 2014

Dar peixes ao povo em vez de ensiná-lo a pescar?


A frase “dar peixes ao povo em vez de ensiná-lo a pescar” que não corresponde exatamente ao provérbio chinês: “Antes de dar comida a um mendigo, dá-lhe uma vara e ensina-lhe a pescar”, tornou-se muito popular entre aqueles que se opõem aos governos PT de Lula e Dilma.
A bolsa família, por exemplo, transformou-se em bolsa bandido, como se o valor da bolsa família revertesse tendências a ganhos ilegais por parte dos criminosos.
Imagino que para esses filósofos de meia tigela, a ação de devorar um peixe leve o mesmo período de tempo daquela que ensina a pescar. 
Quando em 12 anos de governos petistas se criaram 18 faculdades federais, 370 escolas técnicas, bolsas de estudo, quotas para negros e indígenas e bolsa família para facilitar o acesso à educação profissional da população mais carenciada, sem o estômago vazio porque o dinheiro deu para o arroz e para o feijão e, ainda, ter médico no posto para atendimento quando adoece, é só dar peixes ou é ensiná-los a pescar?
Se um jovem oriundo de uma família pobre, através de todos os programas criados pelos governos petistas, faz uma faculdade ou um curso técnico e, por via da sua formação profissional, consegue um trabalho digno e remunerado, vamos dizer que lhe foi dado um peixe ou lhe foi ensinada a arte de pescar?
O interessante é que, geralmente, quem utiliza essa expressão é uma determinada classe que defende, por um lado, o neoliberalismo desenfreado em detrimento de políticas sociais, mas por outro lado, gosta de festinhas onde senhoras e cavalheiros bem vestidos, exibem a sua “caridadezinha” hipócrita!
Ora, são exatamente estes “caridosos” que acusam os governos de Lula e Dilma daquilo que eles praticam: dão peixinhos aos pobres e isso basta-lhes para se sentirem de consciência tranquila e dormirem o sono dos justos até aos próximos lucros exorbitantes derivados de aplicações financeiras ou jogadas económicas, à custa do empobrecimento da classe trabalhadora que os sustenta e, ainda, do sacrifício dos mais pobres que não conseguem sequer ver uma luz ao fundo do túnel.
E há, também, infelizmente em crescendo, aqueles que não pertencendo a essa tal classe social de “caridosos” defendem o mesmo que estes. Mas esses, coitados, são os sem noção de plantão que papagueiam o que ouvem em TV’s Globos e outras mídias que tais. 
Ensinar o povo a pescar? Era o que faltava! Isso dá muita despesa e leva tempo. O melhor é continuar dando umas esmolas (peixinhos) que em corpo de pobre qualquer agasalho serve!

1 comentário:

carioca praieira disse...

bravo, como sempre colocando pingos nos is e de forma muito bem escrita, elegante, observadora e sobretudo bem informada. Valeu!